Maukie - the virtual cat

terça-feira, 31 de maio de 2011

Cinema Brasileiro 2011


Quando o foco do cinema brasileiro deixar de ser apenas FAVELA, APELO SEXUAL e ÊXODO RURAL, quem sabe eu vote...
Ah, nada contra favelados, bundas ou retirantes, mas a produção NACIONAL é muito mais do que isso!!!

domingo, 29 de maio de 2011

Álvares de Azevedo - São Paulo 20 de julho de 1848


‎"Eu sinto no meu coração uma necessidade de amar, de dar a uma criatura este amor que me bate no peito."

A Rita alí...

terça-feira, 24 de maio de 2011

‎"Yo sólo quiero cinco cosas ..
El primero es el amor sin fin
El segundo es ver el otoño
El tercero es el grave invierno
En cuarto lugar el verano
La quinta cosa son tus ojos
No quiero dormir sin tus ojos.
No quiero ser ... sin mirarme.
Insisto en que siguen a la primavera en mí."

Pablo Neruda.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

AMANTES


"Dançaram uma valsa violenta tecida pelos metais da modernidade, onde ela em seguida rodopiou pelo espaço e ele marcou passo a compasso. Frente a frente num disparo de mortal desejo caíram em trêmulos braços para se deliciarem em beijos doces e lânguidos."
Emis

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Para quê?! (Florbela Espanca)


Tudo é vaidade neste mundo vão…
Tudo é tristeza; tudo é pó, é nada!
E mal desponta em nós a madrugada,
Vem logo a noite encher o coração!

Até o amor nos mente, essa canção
Que nosso peito ri `a gargalhada,
Flor que é nascida e logo desfolhada,
Pétalas que se pisam pelo chão!…

Beijos d´amor? Pra quê?!… Tristes vaidades!
Sonhos que logo são realidades,
Que nos deixam a alma como morta!

Só acredita neles quem é louca!
Beijos d´amor que vão de boca em boca,
Como pobres que vão de porta em porta!…

Eu (Florbela Espanca)



Eu sou a que no mundo anda perdida,
Eu sou a que na vida não tem norte,
Sou a irmã do Sonho, e desta sorte
Sou a crucificada… a dolorida…

Sombra de névoa ténue e esvaecida,
E que o destino amargo, triste e forte,
Impele brutalmente para a morte!
Alma de luto sempre incompreendida!…

Sou aquela que passa e ninguém vê…
Sou a que chamam triste sem o ser…
Sou a que chora sem saber porquê…

Sou talvez a visão que Alguém sonhou,
Alguém que veio ao mundo pra me ver
E que nunca na vida me encontrou!